O ensino da Medicina do Trabalho em Portugal

O ensino da Medicina do Trabalho foi assegurado, desde 1963, pelo Instituto de Higiene Dr. Ricardo Jorge, como especialização do Curso de Medicina Sanitária. O ensino da Medicina do Trabalho está ainda associado, em termos históricos, à formação especializada de médicos do trabalho, através de um curso que constituía habilitação legal para o exercício da medicina do trabalho em serviços médicos do trabalho, inicialmente no âmbito das disposições técnico-normativas e jurídicas de 1962 sobre a prevenção da silicose, nas minas, nos estabelecimentos industriais e em outros locais de trabalho em que existia o risco daquela doença profissional.

Leia Mais

SÍNDROME DE “BURNOUT” RECONHECIDA COMO DOENÇA PELA OMS

A lista, elaborada pela OMS, é baseada nas conclusões de especialistas de todo o mundo. A classificação é utilizada para estabelecer tendências e estatísticas de saúde. A inclusão foi aprovada pelos estados-membros da OMS, reunidos desde 20 de maio em Genebra para a Assembleia Mundial da organização. O burnout pode afetar indivíduos “normais”, no sentido […]

Leia Mais

Envelhecimento e Trabalho: “velhos são os trapos”

Na atual fase de desenvolvimento da Saúde Ocupacional, ou da Segurança, Higiene e Saúde dos Trabalhadores nos Locais de Trabalho (SHSTLT) se se preferir, pretende-se um ambiente de trabalho saudável, seguro e satisfatoriamente confortável e um trabalhador saudável, ativo e produtivo, sem doenças naturais ou ocupacionais e apto e motivado para o exercício da sua […]

Leia Mais

Segurança e Saúde na função de motorista – Vertente psicológica e social na mobilidade terrestre

O Trabalho Humano expressa-se por um resultado esperado face a determinadas tarefas e funções em variados contextos situacionais, quer no tempo de trabalho, quer por vezes fora desse tempo, num processo de complexidade circunstancial resultante do trabalho específico da função de motorista, função essa que acarreta além do normal desgaste físico, uma carga mental cujas […]

Leia Mais

Anemia e falta de ferro afetam um terço dos portugueses. É preciso estar atento a “fatores de risco no trabalho”.

Estima-se que 20% da população portuguesa sofra de anemia, um problema ao qual nem os atletas escapam. Mas ainda que para este grupo faltem estudos capazes de identificar a prevalência da doença, explica Hélder Dores, especialista em Cardiologia Desportiva do Hospital das Forças Armadas e da NOVA Medical School, estudos internacionais confirmam que a prevalência […]

Leia Mais

Asma profissional: uma doença profissional muitas vezes disfarçada

A asma profissional é, no essencial, uma obstrução reversível do fluxo de ar nas vias respiratórias e/ou uma hiperreactividade brônquica causada por factores de risco de natureza profissional. Desde a última metade do século passado veio adquirindo um grande “protagonismo” entre as doenças profissionais “destronando” o anterior protagonismo das doenças respiratórias provocadas por poeiras, que […]

Leia Mais