blog_safemed_sst_hst

Causas, sintomas e consequências do stress relacionado com o trabalho

Icon of [Download] Causas, Sintomas E Consequências Do Stress Relacionado Com O Trabalho [Download] Causas, Sintomas E Consequências Do Stress Relacionado Com O Trabalho

O stress constitui uma das maiores causas de doenças relacionadas com o trabalho na União Europeia e os seus sintomas traduzem um desequilíbrio individual e organizacional.

O stress relacionado com o trabalho é um dos grandes problemas atuais, em particular nos países mais desenvolvidos, onde o mundo do trabalho é caraterizado pela necessidade de inovação constante, mudanças tecnológicas e organizativas e por uma crescente insegurança no trabalho. Vários estudos têm demonstrado como a organização do trabalho está relacionada com o stress no trabalho, a satisfação e motivação do trabalho. Esta relação, organização do trabalho com a saúde e bem-estar dos trabalhadores também é evidenciada pelo quinto inquérito europeu das condições de trabalho.

O stress relacionado com o trabalho pode ser definido como um conjunto de reações emocionais, cognitivas, comportamentais, e fisiológicas a aspetos adversos da organização e do ambiente de trabalho.

Nas últimas décadas, tem sido dada uma grande importância ao estudo do impacto das condições de trabalho sobre o bem-estar psicológico e a saúde das pessoas. A figura 1 apresenta o modelo de causas e consequências do stress relacionado com o trabalho.

Factores_de_stress_blog_sst_hst_safemed

Figura 1 – Modelo de causas e consequências do stress relacionado com o trabalho
(Fonte: Adaptado de Houtman, 2005)

Alguns estudos epidemiológicos têm demonstrado existir uma relação entre os sintomas do stress e a exposição combinada a múltiplos fatores do ambiente e da relação do trabalho e das condições deste.

Os sintomas individuais/organizacionais que revelam casos de stress no trabalho são inúmeros, podemos destacar alguns:

Individuais

  • Cansaço
  • Irritabilidade
  • Perturbações do sono
  • Hipertensão arterial
  • Dores de cabeça
  • Dificuldades de memórias e concentração
  • Perturbações gástricas
  • Tristeza
  • Menor desempenho
  • Absentismo
  • Desmotivação
  • Isolamento social
  • ETC.

Organizacionais

  • Maior número de acidentes de trabalho
  • Menor rendimento e produtividade
  • Incumprimento de horários
  • Aumento da taxa de rotação de pessoal
  • Aumento da taxa de absentismo

A prevenção dos riscos associados ao stress ocupacional é pertinente, já que é considerado um dever desde a publicação da Directiva 89/391/CEE, designada como Directiva-Quadro que estabelece para todo o espaço da União Europeia, que o empregador deve garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores em todos os aspetos relacionados com o trabalho e “planificar a prevenção com um sistema coerente que integre a técnica, a organização do trabalho, as condições de trabalho, as relações sociais e a influência dos fatores ambientais no trabalho”.

 

Bibliografia:

Conselho Parlamento Europeu. (1989). Directiva nº 89/391/CEE – Relativa à aplicação de medidas destinadas a promover a melhoria de segurança e da saúde dos trabalhadores no trabalho. In Comissão Europeia: Jornal Oficial das Comunidades Europeias, 183.

European Agency for Safety and Health at Work. (2009). OSH in figures: stress at work – facts and figures. Acedido em https://osha.europa.eu//en/publications/reports/TE-81-08-478-EN-C_OSH_in_figures_stress_at_work

European Agency for Safety and Health at Work. (2012). Management of psychosocial risks at work: An analysis of the findings of the European Survey of Entreprises on New and Emerging Risks (ESENER). Acedido em https://osha.europa.eu/en/publications/reports/management-psychosocial-risks-esener

4.8 (96%) 15 votes
Dina Chagas

Dina Chagas

Doutorada em Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho – Ramo Científico de Medicina Preventiva e Saúde Pública, pela Universidade de León, Espanha. Pós-Graduada em Segurança e Higiene do Trabalho pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e detentora do Título Profissional para exercer a profissão de Técnico Superior de Segurança no Trabalho.
É professora convidada no Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC) e (co)autora de vários artigos científicos publicados em revistas e em capítulos de livros nacionais e internacionais nos diversos domínios da saúde e segurança ocupacional.
Dina Chagas

Dina Chagas

Doutorada em Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho – Ramo Científico de Medicina Preventiva e Saúde Pública, pela Universidade de León, Espanha. Pós-Graduada em Segurança e Higiene do Trabalho pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e detentora do Título Profissional para exercer a profissão de Técnico Superior de Segurança no Trabalho. É professora convidada no Instituto Superior de Educação e Ciências (ISEC) e (co)autora de vários artigos científicos publicados em revistas e em capítulos de livros nacionais e internacionais nos diversos domínios da saúde e segurança ocupacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscribe!

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>