[Ficha de Segurança] Tratores e Máquinas Agrícolas e Florestais

Função

O trator é um veículo com motor suscetível de fornecer um elevado esforço de tração, relativamente ao seu peso, mesmo em pisos com fracas condições de aderência, e construídos principalmente para puxar, empurrar, transportar e acionar máquinas e equipamentos destinados aos trabalhos agrícolas e florestais (ex: charrua, fresa, semeador, reboque…).

Os tratores têm, de um modo geral, como órgãos de propulsão rodas (podendo ser de duas ou de quatro rodas motrizes) ou lagartas.

.

Documentos e Outros Elementos

Fabricante

  • Tratores:  Certificado CE de conformidade e manual de instruções.

Avisos e pictogramas: nos órgãos de trabalho (tomada de força, sistema de levantamento hidráulico, tomadas de pressão hidráulica, sistema de engate das máquinas) e nas embraiagens.

  • Máquinas agrícolas e florestais: Certificado CE de conformidade e manual de instruções.

Avisos e pictogramas: nas partes móveis e nos mecanismos de regulação da máquina.

  • Veio de transmissão de cardans: Certificado CE de conformidade e manual de instruções.

Todos os equipamentos referidos deverão conter os elementos da marcação: marca; endereço fabricante (ou seu representante), ano de fabrico; designação da máquina; n.º de série.

Utilizador

  • Tratores: Livrete, verificações e ensaios periódicos, certificado CE de conformidade e manual de instruções.

As estruturas de proteção são obrigatórios nos tratores matriculados após 1 de janeiro de 1994, devendo ter marcação CE desde 1996. A certificação do trator é obrigatória (incluindo-se a estrutura de proteção) depois de 29 de dezembro de 2009.

  • Máquinas agrícolas e florestais: Livrete (reboques), verificações e ensaios periódicos, certificado CE de conformidade e manual de instruções.
  • Veio de transmissão de cardans: Verificações e ensaios periódicos, certificado CE de conformidade e manual de instruções.

O utilizador deverá efetuar inspeções técnicas periódicas, manter os relatórios de verificação de segurança e o registo de manutenção.

.

Formação Específica

Operação no interior das explorações

  • Carta de condução (cfr. Categorias da carta com tipos de máquinas) mais formação certificada em SST; ou
  • Licença de condução (cfr. Categorias I, II e III com tipos de máquinas).

Condução em estrada

  • Carta de condução ou Licença de condução (cfr. Categorias com tipos de máquinas).

.

Riscos mais Frequentes

  • Reviramento lateral do trator ou do conjunto trator máquina agrícola/florestal;
  • Empinamento traseiro, quando o trator fica descompensado com o peso da máquina colocada na sua traseira;
  • Queda em altura: acesso ao trator ou à máquina agrícola/florestal;
  • Esmagamento: quando o operador perde o controlo da máquina (ex: na ligação e regulação da máquina agrícola/florestal);
  • Corte/cisalhamento/choque ou impacto: em material cortante (ex: facas de fresas), no fecho dos taipais laterais e/ou posteriores;
  • Enrolamento: nos veios de transmissão de cardans, nas partes móveis das máquinas (carretos, correias, correntes);
  • Atropelamento: durante a circulação de tratores, durante o engate das máquinas, presença de crianças e idosos;
  • Projeção: projeção de peças partidas, pedras, material cortante (ex: cortamatos e gadanheiras rotativas);
  • Inércia: nas máquinas que tenham volantes de inércia onde o tempo de paragem é superior (ex: enfardadeiras).

.

Principais Medidas de Prevenção

Fabricante

  • Sistema de retenção (obrigatório cintos de segurança nalguns modelos de tratores – ver regulamento de homologação);
  • Proteção dos veios telescópicos de cardans;
  • Proteção dos órgãos móveis das máquinas operadoras, guarda corpos, corrimões;
  • Luz avisadora de marcha-lenta (pirilampo);
  • Colocação de espelhos retrovisores.

Utilizador

  • Formação e informação do operador;
  • Avaliação dos riscos inerentes à sua utilização. Por exemplo nos riscos químicos, associados à aplicação de fitofármacos, utilizar os EPI adequados, de acordo com os riscos referidos pelos fabricantes dos produtos fitofarmacêuticos, em função da categoria da cabina instalada (ver manual de instruções – Categorias 1, 2, 3 e 4);
  • Regulação da via ou bitola na posição mais larga possível;
  • Lastrar adequadamente o trator para aumentar a estabilidade do conjunto trator-máquina (ex: água nas rodas, pesos nas rodas e massas frontais);
  • Manter os pedais de travão unidos;
  • Adaptar a velocidade de trabalho às condições de utilização;
  • Evitar que o trator passe sobre obstáculos ou por dentro de valas ou depressões;
  • Puxar sempre as máquinas e equipamentos pesados a uma velocidade moderada e adaptada à situação (ex: semi-reboques);
  • Ter em atenção a forma de acondicionamento das cargas (ex: disposição dos animais, fardos de palha…);  Afrouxar sempre antes de virar a fim de reduzir a força centrífuga que poderá tornar instável o conjunto trator-máquina;
  • Utilizar o motor como travão em declives, selecionar a velocidade antes de iniciar a descida e evitar reduzir ou travar a meio do declive;
  • Evitar trabalhar com o trator nas proximidades de fossos, socalcos, ribeiros que, por poderem ser instáveis, podem desmoronar e provocar o reviramento;
  • Deixar espaços suficientes para manobras seguras nas cabeceiras;
  • Cuidados redobrados na utilização de máquinas que provoquem a subida do centro de gravidade do trator (ex: carregador frontal);
  • Fixar as máquinas nos pontos de engate previstos pelos fabricantes (o mais baixo e avançado possível para melhor estabilidade do conjunto tratormáquina) fixando-as com as cavilhas de segurança;
  • Arrancar suavemente, fazendo patinar a embraiagem se necessário;
  •  Travar progressivamente quando em descida e subir de marcha atrás em declives acentuados;
  • Ter em bom estado e no devido lugar todos os dispositivos de segurança dos tratores e máquinas (ex: embraiagens de segurança, parafusos fusível, proteções, molas,…);
  • Cortar os veios no comprimento adequado, encaixar os picoletes corretamente e fixar as correntes das proteções;
  • Intervir numa máquina somente quando ela estiver parada e com todos os seus órgãos imobilizados;
  • Afastar todas as pessoas não necessárias da máquina (ex: crianças e idosos);
  • Manutenção adequada dos tratores, máquinas e equipamentos;
  • Não modificar as estruturas de proteção (ex: furar, soldar,…);
  • Extintor de acordo com peso bruto da máquina.

.

Principais Medidas de Protecção

Equipamento

  • Arco de segurança, conhecido vulgarmente por “Santo António”. Utilizar o arco rebatido em situações estritamente necessárias (ex: entrar em estufas, passar por baixo da copa das árvores);
  • Quadro de segurança;
  • Cabina de segurança (em função da categoria da cabina, verificar a instalação:
    • Categoria 1 – sem nível específico de proteção;
    • Categoria 2 – proteção contra poeiras;
    • Categoria 3 – proteção contra poeiras e aerossóis;
    • Categoria 4 – proteção contra poeiras, aerossóis e vapores;
  • Proteção do veio de tomada de força (veio telescópico de cardans).

.

Local da Atividade
(situações a ter atenção na envolvente, solo, condições de utilização, etc.)  

  • Operação em locais de trabalho declivosos, nomeadamente, com socalcos, valas, toros de madeira;
  • Utilização do trator em locais de trabalho com fracas condições de aderência e de transitabilidade;
  • Inexistência de cabos elétricos ou outras instalações técnicas (condutas) na envolvente dos trabalhos, por exemplo nos trabalhos com gruas.

.

O que não devia acontecer, mas é comum

  • Circulação em estrada com os pedais de travão de pé desligados, com o arco de segurança rebaixado e em velocidade excessiva;
  • Apreensão de vestuário por partes móveis das máquinas ou pelo veio de transmissão de cardans, por ausência das adequadas proteções;
  • Queda em altura de trabalhadores que laborem sobre plataformas instaladas em máquinas;
  • Alterações, adaptações de máquinas para trabalhos ou condições de utilização não previstas pelo fabricante;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Ausência de planificação de trabalho.

.

Normas de Referência

  • EN 474-1:2006 Earth-moving machinery – Safety;
  • EN 474-2:2006 Requirements for tractor-dozers;
  • EN 14 930 Agricultural and forestry machinery and gardening equipment. Pedestrian controlled and hand-held machines;
  • EN 60 204 Safety of machinery. Electrical equipment of machines. General requirements;
  • EN 15 695-1:2009 Agricultural Tractors and Self-propelled Sprayers – Protection of the Operator (driver) Against Hazardous Substances.

 .

Fonte (ACT): bit.ly/2a1VfmU

Márcia Cardoso

Márcia Cardoso

Márcia Cardoso, licenciada em Marketing. Actualmente desenvolve funções na Ábaco Consultores.  Visualizar perfil de Márcia Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscribe!