O estado da arte na Segurança e Saúde no Trabalho

Icon of [Download] O Estado Da Arte Na Segurança E Saúde No Trabalho [Download] O Estado Da Arte Na Segurança E Saúde No Trabalho

Estado da arte é, segundo a Wikipédia, o nível mais alto de desenvolvimento, seja de um aparelho, de uma técnica ou de uma área científica. Para escrever sobre o estado da arte na Segurança e Saúde no Trabalho, usarei o último congresso mundial de segurança e saúde no trabalho (SST), mostrando alguns dos temas abordados nesse congresso. Muitos destes assuntos já são abordados há bastantes anos, no meio académico ou em meios mais restritos. No entanto, só nos últimos anos atingiram o nível de aceitação para serem discutidos num congresso com esta exposição. Provavelmente, serão temas que começarão a ser tratados e implementados muito mais generalizadamente nos próximos anos.

Primeiro, dar-vos alguma informação sobre o congresso: o XX Congresso Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho decorreu de 24 a 27 de Agosto de 2014 em Frankfurt, na Alemanha. Participaram 3 980 pessoas de 143 países, dos 5 continentes. Tive o privilégio de participar, assistindo e apresentando também um poster. Nunca tinha participado num evento deste tipo com esta dimensão, em termos de número de participantes, mas sobretudo no número de simpósios, sessões técnicas, ou outros eventos. Foi uma experiência deveras empolgante e interessante. Sem dúvida, recomendo! Quem tiver a possibilidade de participar que o faça. O próximo será em 2017, em Singapura (talvez um pouco longe!)

O congresso tinha como mote: Partilhando uma visão para a prevenção sustentável (Sharing a vision for sustainable prevention). E foi isso que se fez nas várias de dezenas de eventos: como será, no futuro, trabalhar em prevenção, tornando esse esforço verdadeiramente sustentável, durável no tempo e com resultados positivos.

Foram discutidos alguns dos temas mais prementes na Segurança e Saúde atualmente:

  • Cultura de Prevenção – Estratégias de Prevenção – Visão Zero

Como podemos prevenir os acidentes graves e mortais, de modo a atingir a Visão Zero?

  • Desafios da Saúde Ocupacional

Como estamos a lidar com os novos desafios na Saúde Ocupacional?

  • Diversidade no Mundo do Trabalho

Quais as estratégias de prevenção que prometem o maior sucesso num mundo de trabalho tão diverso como temos hoje?

Olhando para os 3 temas acima, está claro que este congresso abordou o tema da Segurança e Saúde no Trabalho com uma grande abrangência: o primeiro tema, Visão Zero, mais focado na área da Segurança; o segundo, mais orientado para a área da Saúde; e o terceiro, uma área transversal, muitas vezes considerada como adjacente à SST, a diversidade no mundo do trabalho.

A Visão Zero não se trata de um objetivo, mas antes de uma forma de pensar. Acreditamos que todos os acidentes mortais e graves poderiam ter sido prevenidos e, por isso, trabalhamos dia a dia para eliminar esses acidentes. Isso traduz-se na Visão Zero, a longo prazo: cada organização, cada fábrica de cada país caminha para a eliminação de acidentes graves e mortais. A Cultura de Segurança foi referida como necessária para efetuar este caminho. Este começou com a DuPont e outras organizações de grandes dimensões e, em países como a Finlândia ou a Holanda, está a chegar às PME’s (Pequenas e Médias Empresas).

Os desafios da Saúde Ocupacional passam pela globalização, com a relocalização de operações para países em desenvolvimento, onde os trabalhadores estão muito menos protegidos. Mas passam também por aumentar o âmbito da Saúde Ocupacional para a chamada Promoção da Saúde, integrando o antigo paradigma desta área, centrada essencialmente nos riscos ocupacionais. Há quase 20 anos, o professor Sousa Uva chamava-lhe a Nova Saúde Ocupacional.

A diversidade foi outro dos temas fortes do congresso. Diversidade de culturas, línguas, religião, idades com todas estas pessoas diferentes trabalhando no mesmo local de trabalho. Foram debatidos temas como as políticas inclusivas e de respeito pela diversidade: a integração de mais mulheres ou de pessoas de diferentes culturas em posições de liderança, a inclusão de pessoas com deficiência, a comunicação em sites com pessoas com línguas tão diferentes. Discutiu-se também a forma de aplicar as melhores estratégias de prevenção que tenham em consideração esta realidade tão diversa.

Todos estes temas foram tratados especificamente em múltiplas sessões do congresso, com oradores muito bons.

Os temas deste congresso serão algumas das áreas de maior desenvolvimento da SST nos próximos anos: A Visão Zero e a Cultura de Segurança; a Promoção da Saúde; e a forma de aplicar tudo isto em locais de trabalho cada vez mais diversos. E fazendo tudo isto sem esquecer as metodologias clássicas de Prevenção.

Tudo temas a estudar e a ter em atenção no futuro!!

 .

João T. Pinto
Latest posts by João T. Pinto (see all)

João T. Pinto

João T. Pinto dedicou os últimos 16 anos da sua carreira profissional à área da segurança e saúde no trabalho. Foi consultor de cultura e sistemas de gestão de segurança e saúde, onde trabalhou na DuPont. Foi também diretor adjunto corporativo de segurança e saúde na Cimpor. Hoje é consultor independente, trabalhando na área da Segurança (e Saúde no Trabalho, Industrial, Rodoviária), onde implementa sistemas de gestão de segurança e saúde, audita e treina pessoas. Linkedin: https://pt.linkedin.com/in/joaopinto/pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscribe!