COVID-19: quem sabe de logaritmos não sabe de doenças e vice-versa?

Pois é! Cá estamos onde, desde setembro, era previsível (e alguns isso previram), e o que se ouve, no essencial, indicia que quem sabe de logaritmos não sabe de doenças e vice-versa! E o que é espantoso é que todos são bem-intencionados, mas o resultado, no mínimo, podia ser melhor, apesar de tanto empenho de todos (muito empenho e pouca organização?). Entretanto, as redes sociais expressam coisas deploráveis (propositadamente distorcidas em várias perspectivas, para não falar nos chamados “negacionistas”) e os hospitais estão prestes a atingir o acme da organização (por vezes, improvisão) adptativa em resposta à pressão que sofrem.

Leia Mais