Trabalhos com a utilização de andaimes

Trabalhos com a utilização de andaimes

Perigos – riscos – medidas de prevenção e proteção

O setor da construção civil e industrial (manutenção de estruturas de telecomunicações, de energia e eletricidade entre outros) assumem-se de relevante perigosidade (estamos a falar de trabalhos em altura) provocando inúmeros incidentes, muitos deles não relatados bem como acidentes graves e mortais colocando em risco a vida de muitos trabalhadores cuja culpa em grande parte são dos responsáveis (técnicos, encarregados, empreiteiros, etc.) das respetivas estruturas provisórias. Isto leva-nos ao conceito de andaime:

Definição de andaime

Estruturas provisórias auxiliares, munidas de plataformas horizontais elevadas, suportadas por estruturas de secção reduzida e que se destinam a apoiar a execução de trabalhos de construção, manutenção, demolições e reparação de equipamentos ou estruturas.

Classes de Andaimes

  • Classe 1 – Andaimes destinados ao controlo e trabalhos realizados com utilização ligeira e sem armazenamento de materiais.
  • Classes 2 e 3 – Andaimes destinados a trabalhos de inspeção e às operações que não impliquem necessariamente o armazenamento de matérias, salvo aqueles que devem ser utilizados imediatamente, como por exemplo pintura, rebocos, entre outros.
  • Classes 4 e 5 – Andaimes destinados a trabalhos de alvenaria.
  • Classe 6 – Andaimes destinados a trabalhos de alvenaria pesada e armazenamento importante de materiais.

Segundo a Diretiva n.º 2001/45/CE (que alterou pela segunda vez a Diretiva n.º 89/655/CEE, regulamenta a utilização de equipamentos destinados à execução de trabalhos em altura, para proteger a segurança e saúde dos trabalhadores) transposta para o nosso já conhecido Decreto-Lei n.º 50/2005, refere nos 5 artigos abaixo as condições a promover por parte do técnico de SST, nomeadamente:

  • Artigo 4.º – Requisitos mínimos de segurança e regras de utilização dos equipamentos de trabalho
  • Artigo 6.º Verificação dos equipamentos de trabalho
  • Artigo 7.º Resultado da verificação
  • Artigo 37.ºMedidas de proteção coletiva
  • Artigo 40.º Utilização de andaime

Tipos de Andaime

  • SIMPLES – O andaime nacional também conhecido por andaime de pintor, de fachada ou espanhol. Este tipo de andaime não é certificado;
  • MODULAR DE FACHADA – Também conhecido por andaime europeu de fachada, Adaptação modular a qualquer configuração geométrica. Poucos elementos de construção, fácil de montar e desmontar, fixação rápida. Normas HD1000 e HD1039;
  • MULTIDIRECCIONAL – Alta produtividade, Versatilidade/Resistência. Desenhado de acordo com as normas Europeias HD1000 e HD1039;
  • TORRES ROLANTES – São fabricadas satisfazendo as normas Europeias, nomeadamente a norma HD1004 classes 3.

Fases da utilização dos Andaimes

  • Armazenamento
  • Transporte
  • Montagem
  • Inspeção
  • Utilização
  • Desmontagem

Riscos

  • Quedas em altura (dos trabalhadores)
  • Desmoronamento do andaime
  • Choque com objetos na subida / descida.
  • Queda de objetos a partir de pontos superiores.
  • Existência de cortes, esmagamentos e perfurações dos membros superiores e inferiores na montagem e desmontagem dos andaimes
  • Chamo também atenção para o caso de estarmos a trabalhar em altura (andaimes) perto de zonas energizadas com o risco eventual de eletrização ou electrocução pelo que temos que respeitar as distâncias de segurança (no mínimo 3 metros).

Causas dos acidentes em e com Andaimes

  • No trabalho em andaimes e outras plataformas de trabalho, por falta de guarda-corpos e rodapé;
  • Ausência/deficiência no contraventamento ou escoramento;
  • Ausência/deficiência das fixações do andaime à edificação (ex. quando suporta aparelhos de elevação de cargas);
  • Por desmoronamento do andaime devido e deficiente dimensionamento, amarração, ou apoio pouco consistente na base do andaime;
  • Por rutura da plataforma devido a sobrecarga;
  • Por tropeçamento ou escorregamento na plataforma devido a materiais e produtos desarrumados;
  • Cedência dos apoios;
  • Material em mau estado;
  • Embate de veículos por ausência de sinalização;
  • Quedas de materiais e ferramentas por falta de rede de segurança, entre outras possíveis causas como por exemplo oriundas de vendavais ou tremores de terra.

Prevenção e proteção

  • Os trabalhos em altura só devem ser realizados quando as condições meteorológicas não comprometam a segurança e a saúde dos trabalhadores. Preferencialmente, os andaimes podem ser do tipo apoiado (pés fixos ou de pés móveis) ou suspenso;
  • A utilização de andaimes é obrigatória nas obras de construção em que os trabalhadores laborem a mais de 4 m de altura;
  • Os andaimes a partir dos 8 m de altura, obrigam à existência de um responsável pela sua execução e consequente manutenção;
  • Os andaimes com mais de 25 m de altura, obrigam à existência de um técnico responsável pelo seu cálculo, estabilidade e execução, devendo ser inspecionados após a ocorrência de temporais ou 8 dias de não utilização;
  • Os andaimes devem possuir na zona/local de acesso, uma placa de identificação da firma e do técnico responsável pela execução;
  • A montagem, desmontagem ou reconversão dos andaimes só pode ser efetuada sob a direção de uma pessoa competente com formação específica adequada sobre os riscos dessas operações, nomeadamente sobre:
    • A interpretação do plano de montagem, desmontagem e reconversão do andaime;
    • A segurança durante a montagem, desmontagem ou reconversão do andaime;
  • Os trabalhadores devem estar “aptos” do ponto de vista da medicina no trabalho para executarem trabalhos em altura
  • A zona de implantação dos andaimes fixos, de estacionamento dos andaimes móveis deve ser protegida com meios de balizagem ou com uma vedação e sinalizada com o aviso de perigo queda de objetos ou materiais.
  • Em locais de passagem, sempre que haja o risco de queda de materiais, deve ser colocada uma Rede de Proteção;
  • Sempre que os andaimes sejam montados em locais de passagem de peões, devem ser criados corredores de passagem devidamente iluminados e sinalizados;
  • Os andaimes de pés fixos montados junto da passagem de veículos ou em locais de manobras de máquinas, que possam a vir a pôr em causa a estabilidade e integridade do andaime, devem ser sinalizados tanto durante o dia como de noite; para além desta sinalização, não dispensável, podem ser ainda colocados obstáculos de pedra, betão ou mesmo uma estrutura metálica;
  • Durante os trabalhos de montagem e desmontagem de andaimes, os montadores e demais trabalhadores devem usar os EPI apropriados para este tipo de atividade;
  • Na elevação das peças constituintes dos andaimes deverão ser usados meios mecânicos (gruas ou outros);
  • Na montagem dos andaimes não se deve iniciar o tramo superior sem concluir os níveis inferiores com todos os elementos de estabilidade;
  • Os elementos de união (abraçadeiras, junta de empalme e cavilha de encaixe) devem encontrar-se devidamente apertados/justapostos, promovendo a melhor fixação entre as restantes peças do andaime;
  • Todos os elementos constituintes do andaime que denotem alguma deficiência devem ser substituídos de imediato;
  • Nos andaimes devem instalar-se redes de proteção, para evitar que a projeção de detritos ou queda de materiais possa atingir outros trabalhadores ou pessoas que passem nas imediações;
  • As bases reguláveis dos prumos devem assentar sobre apoios sólidos e estáveis, tais como, escoras (pranchões ou vigas) de madeira, tendo em vista a melhor distribuição de cargas no solo;
  • Os prumos devem ser travados junto ao solo. Se o declive do terreno exceder 30% devem ser enterrados 200mm;
  • Os andaimes de construção devem ser fixados à edificação, ou a outra estrutura fixa existente, tendo em vista a necessidade de contraventamento da estrutura;
  • As dimensões, forma e disposição das plataformas do andaime devem ser adequadas ao trabalho a executar e às cargas a suportar, bem como permitir que os trabalhadores circulem e trabalhem em segurança;
  • As plataformas do andaime devem ser fixadas sobre os respetivos apoios de modo que não se desloquem em condições normais de utilização;
  • Nas plataformas de trabalho, tendo em vista, as proteções dos utilizadores devem montar-se as proteções regulamentadas: guarda-corpos simples, a 1m de altura do piso, uma guarda intermédia e o rodapé, com 150mm.
  • As plataformas de trabalho deverão ter a largura máxima que a estrutura do andaime permitir, nunca inferior a 600mm, para torná-las mais seguras e operacionais, encontrando-se para isso as travessas de apoio totalmente preenchidas;
  • A distância que separa a plataforma de trabalho no andaime do paramento vertical da edificação não deverá ser superior a 200mm;
  • O acesso às plataformas deve ser realizado pelo interior do andaime através de uma abertura e escadas;
  • O acesso a postos de trabalho em altura deve permitir a evacuação em caso de perigo iminente – DL 50/2005;
  • Todos os trabalhadores devem na montagem e desmontagem estar munidos de capacete, luvas, botas de segurança e óculos. Outros acessórios como os arneses podem ser necessários. Não esquecer o vestuário em determinadas situações de alta visibilidade, nomeadamente quando os andaimes estão situados perto das vias rodoviárias;
  • Por fim salvo um maior e melhor aprofundamento técnico dos especialistas nesta área, devem os locais estar devidamente sinalizados e balizados de forma a evitar que pessoas não qualificadas tenham acesso ao interior do estaleiro.
  • Os trabalhos em altura só devem ser realizados quando as condições meteorológicas não comprometam a segurança e a saúde dos trabalhadores. Preferencialmente, os andaimes podem ser do tipo apoiado (pés fixos ou de pés móveis) ou suspenso;
  • A utilização de andaimes é obrigatória nas obras de construção em que os trabalhadores laborem a mais de 4 m de altura;
  • Os andaimes a partir dos 8 m de altura, obrigam à existência de um responsável pela sua execução e consequente manutenção;
  • Os andaimes com mais de 25 m de altura, obrigam à existência de um técnico responsável pelo seu cálculo, estabilidade e execução, devendo ser inspecionados após a ocorrência de temporais ou 8 dias de não utilização;
  • Os andaimes devem possuir na zona/local de acesso, uma placa de identificação da firma e do técnico responsável pela execução;
  • A montagem, desmontagem ou reconversão dos andaimes só pode ser efetuada sob a direção de uma pessoa competente com formação específica adequada sobre os riscos dessas operações, nomeadamente sobre:
    • A interpretação do plano de montagem, desmontagem e reconversão do andaime;
    • A segurança durante a montagem, desmontagem ou reconversão do andaime;
  • Os trabalhadores devem estar “aptos” do ponto de vista da medicina no trabalho para executarem trabalhos em altura
  • A zona de implantação dos andaimes fixos, de estacionamento dos andaimes móveis deve ser protegida com meios de balizagem ou com uma vedação e sinalizada com o aviso de perigo queda de objetos ou materiais.
  • Em locais de passagem, sempre que haja o risco de queda de materiais, deve ser colocada uma Rede de Proteção;
  • Sempre que os andaimes sejam montados em locais de passagem de peões, devem ser criados corredores de passagem devidamente iluminados e sinalizados;
  • Os andaimes de pés fixos montados junto da passagem de veículos ou em locais de manobras de máquinas, que possam a vir a pôr em causa a estabilidade e integridade do andaime, devem ser sinalizados tanto durante o dia como de noite; para além desta sinalização, não dispensável, podem ser ainda colocados obstáculos de pedra, betão ou mesmo uma estrutura metálica;
  • Durante os trabalhos de montagem e desmontagem de andaimes, os montadores e demais trabalhadores devem usar os EPI apropriados para este tipo de atividade;
  • Na elevação das peças constituintes dos andaimes deverão ser usados meios mecânicos (gruas ou outros);
  • Na montagem dos andaimes não se deve iniciar o tramo superior sem concluir os níveis inferiores com todos os elementos de estabilidade;
  • Os elementos de união (abraçadeiras, junta de empalme e cavilha de encaixe) devem encontrar-se devidamente apertados/justapostos, promovendo a melhor fixação entre as restantes peças do andaime;
  • Todos os elementos constituintes do andaime que denotem alguma deficiência devem ser substituídos de imediato;
  • Nos andaimes devem instalar-se redes de proteção, para evitar que a projeção de detritos ou queda de materiais possa atingir outros trabalhadores ou pessoas que passem nas imediações;
  • As bases reguláveis dos prumos devem assentar sobre apoios sólidos e estáveis, tais como, escoras (pranchões ou vigas) de madeira, tendo em vista a melhor distribuição de cargas no solo;
  • Os prumos devem ser travados junto ao solo. Se o declive do terreno exceder 30% devem ser enterrados 200mm;
  • Os andaimes de construção devem ser fixados à edificação, ou a outra estrutura fixa existente, tendo em vista a necessidade de contraventamento da estrutura;
  • As dimensões, forma e disposição das plataformas do andaime devem ser adequadas ao trabalho a executar e às cargas a suportar, bem como permitir que os trabalhadores circulem e trabalhem em segurança;
  • As plataformas do andaime devem ser fixadas sobre os respetivos apoios de modo que não se desloquem em condições normais de utilização;
  • Nas plataformas de trabalho, tendo em vista, as proteções dos utilizadores devem montar-se as proteções regulamentadas: guarda-corpos simples, a 1m de altura do piso, uma guarda intermédia e o rodapé, com 150mm.
  • As plataformas de trabalho deverão ter a largura máxima que a estrutura do andaime permitir, nunca inferior a 600mm, para torná-las mais seguras e operacionais, encontrando-se para isso as travessas de apoio totalmente preenchidas;
  • A distância que separa a plataforma de trabalho no andaime do paramento vertical da edificação não deverá ser superior a 200mm;
  • O acesso às plataformas deve ser realizado pelo interior do andaime através de uma abertura e escadas;
  • O acesso a postos de trabalho em altura deve permitir a evacuação em caso de perigo iminente – DL 50/2005;
  • Todos os trabalhadores devem na montagem e desmontagem estar munidos de capacete, luvas, botas de segurança e óculos. Outros acessórios como os arneses podem ser necessários. Não esquecer o vestuário em determinadas situações de alta visibilidade, nomeadamente quando os andaimes estão situados perto das vias rodoviárias;
  • Por fim salvo um maior e melhor aprofundamento técnico dos especialistas nesta área, devem os locais estar devidamente sinalizados e balizados de forma a evitar que pessoas não qualificadas tenham acesso ao interior do estaleiro.
Rate this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Subscribe!